Levante Líbano

O que você precisa saber antes de se mudar para o Líbano

Written by Debora Garcia

Se você está pensando em se mudar para o Líbano, tenho algumas (várias) coisas pra te contar! Vem comigo!

Leia também:

A minha experiência morando no Líbano

Eu contei mais detalhes da minha vida morando no Líbano em outro post, mas vou resumir aqui também.

No verão de 2016, eu me mudei para o Líbano para fazer um curso na minha área. Eu vim sem nada, sem conhecer ninguém, sem emprego, sem lugar pra morar… hehe não me chamem de louca! Durante o curso, a escola me ofereceu um emprego então eu decidi por ficar morando no Líbano afinal era o plano inicial.

Como estou aqui sozinha, sem família, tive que me virar até nas coisas mais básicas. Não existe qualquer tipo de informação online em português e esse é mais um motivo por que eu escrevo o blog. Espero que te ajude!

Já estou aqui há 2 anos e, apesar dos pesares, eu amo morar aqui. Por enquanto não penso em me mudar novamente mas nunca se sabe.

Então, vamos às dicas!

Onde morar

Provavelmente, a primeira coisa que vem à sua mente é: vou morar em Beirute. Morar na capital tem suas vantagens mas, na minha opinião, são mais desvantagens no caso do Líbano.

Beirute é super pequena, completamente lotada de gente, com muuuuuuito trânsito, gente e barulho na rua dia e noite, um prédio grudado no outro, os apartamentos são super antigos, os donos não reformam nada nos apartamentos, a mobília é antiga… pra mim, não dá.

Aqueles que gostam de morar em Beirute, veem como vantagens o fato de estar mais perto do trabalho, ter mais agito, mais opções de lazer, mais restaurantes e lojas, além do status de morar na capital.

A segunda questão é financeira. O aluguel em Beirute é mega inflacionado! Um quarto privado num apartamento compartilhado não sai por menos de 400 dólares por mês e um apartmento só pra você não sai por menos de 1000 dólares por mês. Fora as contas…

Quando eu me mudei, morei no bairro de Ashrafieh por uns 3 meses até descobrir que dá pra viver muito mais confortavelmente em outros lugares. O segredo é morar nos distritos ao redor de Beirute porque são muuuito mais baratos e melhor pra se viver. São mais calmos, menos trânsito e você chega em Beirute em 15, 20 minutos.

Em Ashrafieh, eu pagava 750 dólares por mês (mais contas) pra morar num studio de quarto, cozinha e banheiro, ridiculamente pequeno, com uma janela pequena que dava pra janela do meu vizinho. Juro, era surreal! Por isso tanta gente divide apartamento em Beirute. Você tem um apartamento maior e paga metade, 1/3 do aluguel.

Depois me mudei para Jdeideh e pagava 550 dólares (mais contas) num apartamento enorme de 2 quartos, 2 banheiros, varanda… Hoje em dia moro em Dekwaneh e pago 750 dólares (mais contas) numa cobertura linda, moderna, com uma varanda enorme e nenhum vizinho da minha frente. Se o meu atual apartamento ficasse em Beirute, eu pagaria no mínimo o dobro.

A terceira questão é religiosa. Apesar de hoje em dia os bairros estarem um pouco mais mistos, ainda há bairros estritamente muçulmanos e cristãos. Dahye, por exemplo, fica perto do aeroporto, é super barato mas é um bairro shiita. Você não consegue alugar um apartamento lá sendo cristão. Se a sua religião (ou dos seus vizinhos) for uma questão importante pra você, pesquise e pergunte antes de alugar.

Lixo e eletricidade

Duas coisas básicas que não temos no Líbano: coleta de lixo e eletricidade 24 horas por dia.

Pois é… quando eu estive no Líbano de férias a primeira vez em 2015, o país estava no meio da crise do lixo. Não existe um sistema público de coleta e as empresas privadas pararam de coletar o lixo por briguinhas com o governo. Resultado: a cidade ficou um caos. Tinha lixo acumulado em todas as ruas e as pessoas colocavam fogo nas caçambas à noite. O problema foi parcialmente resolvido mas ainda tem muito lixo na rua e é nojento.

Alguns prédios tem um zelador que vem pegar o seu lixo e levar pras caçambas. Se você não tem zelador, tem que levar o lixo você mesmo. E se não tiver caçamba perto do seu prédio, você tem que colocar o lixo na mala do carro e dirigir até a caçamba mais próxima. Juro.

A eletricidade é outra piada. Em algumas vilas no interior, os moradores tem eletricidade 24/7. Em todo o resto do país, você depende de um gerador pago à parte. É a máfia dos geradores e adivinha quem são os responsáveis? Sim, os políticos. haha

Pois bem, cada bairro tem o seu schedule. Em alguns bairros falta luz 3 horas por dia, em outros 6, em outros 8… depende muito. Se você não tiver um gerador, você simplesmente fica sem luz. Por isso, praticamente todo mundo tem um. Quando você se mudar, o dono do apartamento já vai te indicar o responsável pelo gerador do prédio, ele vai instalar tudo e você só precisa se preocupar em pagar a conta todo mês.

É um saco depender de gerador por que o normal é ter 5 amps, que não dá pra quase nada. Você não pode ligar o secador de cabelo ou o microondas quando estiver no gerador. Então você tem que planejar seu dia de acordo com a eletricidade.

Com o tempo você se acostuma mas o início pra quem acabou de se mudar para o Líbano pode ser frustrante.

Emprego, salário e visto

Se você está pensando em vir pra cá sem emprego, esqueça! Eu dei muita sorte de conseguir um emprego que também seja meu sponsor pro visto de trabalho. Eu sou exceção! O curso onde eu trabalho tem uma cota para professores estrangeiros, por isso eu consegui o emprego e o visto. Nas outras empresas não é assim. Nenhuma empresa quer pagar as taxas de visto (mais de 2 mil dólares) para contratar alguém de fora.

Outra questão é que a taxa de desemprego no Líbano é altíssima. Eu já ouvi de algumas fontes que é em torno de 50%! Não tem emprego nem pros libaneses, que dirá pros estrangeiros. Eu vejo meus amigos e meus alunos sofrendo com isso diariamente. Desde que a guerra na Síria começou, a economia no Líbano foi pro lixo. Uma enxurrada de refugiados entrou no Líbano, a população praticamente dobrou e não tem emprego pra todo mundo.

Se você já está vindo com emprego e visto garantidos, aproveite. Seja o melhor que você possa ser para que a empresa te mantenha no cargo mas não fique surpreso se você for demitido porque a empresa não tem mais dinheiro pra bancar seu visto.

Dá pra trabalhar como freelancer, dependendo da sua área, mas leve em conta que você precisa estar no país legalmente. O visto de turista (gratuito) vale por 90 dias corridos então você precisa sair do país e voltar a cada 90 dias.

Lembre-se também que como a economia do país está muito ruim, os salários são muito baixos! Aqui não é o lugar pra trabalhar e guardar dinheiro. O que você ganhar, vai gastar porque o custo de vida é alto.

“Jeitinho libanês”

Se você acha que o brasileiro tem jeitinho pra tudo, vai se surpreender com os libaneses. Aqui pagando tudo se consegue. Não existem regras pra nada, e se existe ninguém segue. Cada um faz do seu jeito e vida que segue.

Isso pode ser beeeem frustrante porque você espera uma certa organização e isso não existe aqui. Se você quer saber como tirar a carteira de motorista, por exemplo, tem que ir lá e perguntar porque não tem nenhum site oficial explicando. E quando chegar lá, cada um vai te dar uma informação e, no final, o jeito mais fácil é pagando.

Sabe aquela história de “não dá pra fazer”? Aqui SEMPRE dá, não importa o que seja. Basta pagar.

Segurança

Esqueça o que a mídia mostra. Aqui é mil vezes mais seguro do que qualquer cidade do Brasil. Você pode tranquilamente andar na rua tarde da noite, usar seu iPhone X na rua, usar ouro à luz do dia… não rola nada. Se você esqueceu sua carteira no bar, pode voltar que vai estar lá com tudo dentro.

Os libaneses

Ah, os libaneses… eu preciso escrever um post só pra descrever esse povo. haha Agora eu vou só te contar o básico que você precisa saber antes de se mudar para o Líbano.

Primeiro de tudo, eles amam o Brasil e os brasileiros. Se você disser que é brasileiro, já ganhou um amigo libanês. Os libaneses são super receptivos, vão te convidar pra ir comer ou tomar café na casa deles sem nem te conhecer.

Mas não pense que eles não vão querer tirar proveito de você, principalmente os taxistas. Quando eles percebem que você é estrangeiro, eles querem passar a perna. Eu pego service (táxi compartilhado) todo santo dia pra ir pro trabalho. O preço normal é 2 mil liras mas sempre tem um espertinho que tenta me cobrar 4 mil.

Os libaneses são obcecados com a aparência. Os caras malham insanamente, cabelo e barba sempre perfeitos, super bem vestidos… as mulheres usam maquiagem completa (até cilhos postiços) no trabalho, no supermercado, em casa… cabelo sempre arrumado e também se vestem super bem. Cirurgia plástica aqui é rotina. Então venha preparado/a pra causar! haha

Apesar de terem o melhor sistema educacional/ universitário do Oriente Médio, os libaneses não sabem muito sobre cultura ocidental. Ainda tem gente aqui que nunca ouviu falar dos Beatles, de Lady Gaga e Kim Kardashian. Eles não tem muita noção de mundo.

Libanes adora reclamar. Eles reclamam de tudo e quase todo mundo quer sair daqui pra morar em outro país.

Línguas oficiais

Temos 3 línguas oficiais no Líbano: árabe (libanês), francês e inglês. O árabe libanês é a língua falada no contato diário, todo mundo fala árabe. Mas nem todo mudo fala francês e inglês. Quem estudou em escola francesa, fala árabe e francês.. Quem estudou em escola americana, fala árabe e inglês. Deu pra entender? haha

Por exmplo, as placas de rua, os menus e as bulas de remédio normalmente estão em árabe e inglês mas tem muito lugar que só tem árabe escrito.

Crianças e escolas

Se você está vindo com crianças, pode relaxar porque tem muita coisa pra fazer em família aqui. Os pais costumam levar os filhos pra fazer alguma atividade todo fim de semana então opções não faltam. Algumas sugestões: http://www.lebtivity.com/e/family-activities e https://www.beirut.com/JustForKids

Sobre as escolas, você precisa preparar o bolso porque é caríssimo (as mais baratas sao 3 mil dólares por ano). Existem escolas públicas (+/- 300 dólares por ano) e estrangeiros são aceitos mas a qualidade é muito ruim. Só as famílias mais pobres colocam seus filhos em escola pública aqui.

As escolas privadas seguem o currículo libanês, francês, britânico ou americano e as matérias são ensinadas da língua do currículo. Ou seja, se for uma escola de currículo francês, o aluno vai aprender todas as matérias em francês (mais inglês e árabe como matérias secundárias).

O ano letivo começa em outubro e termina em junho. No verão as crianças tem 3 meses de férias (julho, agosto e setembro).

As escolas também são separadas por religião e tem cotas para alunos de outras religiões. Há escolas para muçulmanos sunitas, shiitas, católicos maronitas, ortodoxos, druzos, protestantes e por aí vai.

Religião

Já que estamos falando de religião… o Líbano é um país super plural religiosamente falando. Metade é muçulmana e metade é cristã. Aqui quando falamos “cristã”, não é evangélica mas sim católica. Existem também as minorias, como druzos e evangélicos.

Antigamente pessoas de religiões diferentes não se misturavam (quem lembra da Guerra Civil?) mas hoje em dia é bem mais tranquilo. Eu tenho vários amigos libaneses de todas as religiões e as novas gerações são mais mente aberta com relação à isso.

Comunidade LGBT

Se você faz parte da comunidade LGBT, talvez o Líbano não seja o melhor país pra se morar porque isso ainda é um tabu por aqui, além de ser contra a lei. O código penal libanês ainda trata homossexualidade como crime e eu já ouvi histórias de homens gays que foram parados pela polícia e presos só porque eram gays.

Eu sei de algumas baladas gays em Beirute mas é tudo feito na encolha, nada de beijo na boca na frente de todo mundo, por exemplo.

E tem mais…

  • A noite libanesa é incrível, considerada uma das melhores do mundo.
  • Tem muito lugar legal pra conhecer no país, de norte a sul.
  • Ninguém respeita horário aqui, os libaneses estão sempre atrasados e sempre culpando o trânsito infernal.
  • A internet aqui é uma bosta e super cara! Não espere assistir Netflix aqui porque não vai rolar.
  • Aqui tem de tudo, com relação à comida, restaurantes, lojas de marcas… é super moderno com relação a isso. O que você precisar, você vai encontrar aqui.
  • A comida libanesa é a melhor da vida. Você não vai sentir falta da comida brasileira.
  • Mas se tiver com vontade de comer pão de queijo e churrasco, vá nos dois restaurantes brasileiros: Liza´s e Rio Vermelho.
  • A comunidade brasileira de Beirute é super bacana e todos se ajudam. Há grupos no facebook e no whatsapp pra você interagir e pedir um help sempre que precisar.
  • Temos também um centro cultural em Ashrafieh com vários eventos pra comunidade brasileira. Tem carnaval, festa junina, cinema com filmes brasileiros… é bem legal!

Encontro das brasileiras em Beirute

Por enquanto acho que é isso, pessoal! Se você tiver alguma dúvida, deixe um comentário que eu respondo ou edito o post com mais informações.

About the author

Debora Garcia

Conheço 13 países mas escolhi o Oriente Médio para morar. Saí do Brasil em 2014 para trabalhar como professora na Arábia Saudita. Desde 2016 trabalhando no Líbano. <3

1 Comment

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: